Agronegócio

Preços da carne suína em alta: frigoríficos mantêm cautela diante de expectativas de aumento no consumo

2024 word1

Na última semana, os preços da carne suína registraram um aumento tanto no quilo quanto nos principais cortes no atacado. Segundo o analista Allan Maia, da Safras & Mercado, as negociações envolvendo o animal vivo estão ocorrendo em um ambiente equilibrado, apesar de os frigoríficos manterem uma postura cautelosa.

“Há sinais de melhora no escoamento da carne, com expectativas positivas para o consumo final devido à entrada da massa salarial na economia. Os suinocultores indicam que a oferta de animais deve continuar ajustada no curto prazo, o que favorece a elevação dos preços”, explica Maia.

Além disso, o analista destaca o bom desempenho das exportações, um fator positivo que contribui para o ajuste da disponibilidade doméstica. “O preço do milho, principal componente da ração, recuou em alguns estados, o que é favorável para as margens dos suinocultores”, acrescenta.

Análise dos Preços

De acordo com levantamento da Safras & Mercado, a média de preços do quilo do suíno vivo no país teve um aumento de 1,55% na semana, encerrando em R$ 6,04. Os preços pagos pelos cortes de pernil no atacado subiram de R$ 10,36 para R$ 10,50 (+1,38%) e a média da carcaça teve um avanço de 1,09%, atingindo R$ 9,82.

A análise semanal da Safras & Mercado revelou que a arroba suína em São Paulo subiu de R$ 125,00 para R$ 130,00. No Rio Grande do Sul, o quilo vivo na integração manteve-se em R$ 5,40 e no do estado passou de R$ 6,15 para R$ 6,25.

Em Santa Catarina, o preço do quilo na integração permaneceu em R$ 5,40 e no interior subiu de R$ 6,05 para R$ 6,10. No Paraná, o preço do quilo vivo aumentou de R$ 6,10 para R$ 6,25 no mercado livre, mantendo-se estável em R$ 5,35 na integração.

No Mato Grosso do Sul, a cotação em Campo Grande subiu de R$ 5,90 para R$ 5,95, com os preços na integração permanecendo em R$ 5,35. Em Goiânia, os preços aumentaram de R$ 6,20 para R$ 6,40. No interior de Minas Gerais, os preços subiram de R$ 6,60 para R$ 6,70, com o mercado independente avançando de R$ 6,70 para R$ 6,90. Em Mato Grosso, o preço do quilo vivo em Rondonópolis foi de R$ 5,85 para R$ 5,90, enquanto na integração estadual as cotações permaneceram estáveis em R$ 5,30.

Desempenho das Exportações

As exportações brasileiras de carne suína “in ” renderam US$ 210,066 milhões em maio (21 dias úteis), com uma média diária de US$ 10,003 milhões. A quantidade total exportada no período foi de 91,629 mil toneladas, com uma média diária de 4,363 mil toneladas. O preço médio ficou em US$ 2.292,60 por tonelada.

Comparando com maio de 2023, houve uma queda de 10,7% no valor médio diário, um aumento de 0,8% na quantidade média diária exportada e uma retração de 11,4% no preço médio. Os foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Fonte: portaldoagronegocio

Sobre o autor

Avatar de Redação

Redação

Estamos empenhados em estabelecer uma comunidade ativa e solidária que possa impulsionar mudanças positivas na sociedade.