Grupo do Whatsapp Cuiabá
Agronegócio

Desafios e surpresas: SLC Agrícola na rota da soja e do algodão

2024 word1

A SLC Agrícola, uma das maiores produtoras de grãos do Brasil, enfrentou desafios significativos no primeiro trimestre de 2024, principalmente devido ao clima desfavorável. A seca no estado do Mato Grosso prejudicou a produção de soja, resultando em uma queda expressiva na e em atrasos nos pagamentos, causando um impacto negativo na geração de caixa.

Durante uma teleconferência para discutir os trimestrais, o CEO da SLC Agrícola, Aurelio Pavinato, destacou o desempenho robusto do algodão, que teve um aumento expressivo de 51,7% no volume faturado e um incremento de 15,4% no preço unitário. Ele também anunciou que a aquisição do pacote de insumos para a safra 2024/25 foi concluída.

O impacto da seca se refletiu nos resultados brutos da soja, que tiveram uma queda de 65,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, devido à baixa produtividade e à do preço dessa commodity. O milho também sofreu um declínio significativo, com uma redução de 79,9% no resultado bruto, causada por uma diminuição no preço e na área plantada. Houve uma queda de 9,5% no volume de vendas de milho, destacando os desafios enfrentados pela empresa.

Apesar desses reveses, a empresa tem capacidade de armazenamento e espera uma melhora na liquidez do mercado nos próximos meses. O CEO ressaltou que a volatilidade do câmbio tem afetado o preço do milho no porto, que é cotado em dólar, bem como os custos de frete, exigindo uma abordagem cautelosa nas estimativas futuras.

O bom desempenho do algodão proporcionou um alívio bem-vindo. Houve uma recuperação substancial no resultado bruto do algodão em pluma, com um aumento de 211,0% em relação ao ano anterior, graças à produtividade e rentabilidade mais altas em comparação com outras culturas. Essa melhoria ajudou a compensar parcialmente as perdas da soja e do milho.

Apesar dos problemas com a soja, a empresa conseguiu alcançar 100% da colheita, com rendimentos ligeiramente superiores à média nacional, 1,1% a mais. A produtividade do algodão também foi notável, com um aumento de 5,6% em relação à média nacional. O milho de segunda safra também apresentou desempenho superior, registrando uma produtividade 39,7% acima da média do país.

No entanto, a geração de caixa da SLC Agrícola está negativa, em grande parte devido à redução na receita da soja e aos atrasos nos pagamentos. A empresa permanece vigilante quanto aos riscos associados às safras de algodão e milho, monitorando de perto as condições climáticas. Mesmo com as chuvas excessivas de abril, a perspectiva para o algodão permanece positiva, com uma semeadura precoce que garante um bom início. A expectativa é de que, mesmo sem chuvas em maio, a produtividade esperada possa ser alcançada.

Com esses resultados mistos, a SLC Agrícola está preparada para lidar com as incertezas do setor agrícola, mantendo uma visão cautelosa, mas confiante, para o restante do ano.

Fonte: portaldoagronegocio

Sobre o autor

Avatar de Redação

Redação

Estamos empenhados em estabelecer uma comunidade ativa e solidária que possa impulsionar mudanças positivas na sociedade.