Grupo do Whatsapp Cuiabá
Agronegócio

Principais doenças na suinocultura: como prevenir e controlar

2024 word2

A suinocultura brasileira é uma das principais atividades do agronegócio nacional, contribuindo para a economia e o mercado internacional. No entanto, a criação de suínos enfrenta uma série de desafios devido à presença de patógenos que podem afetar seriamente a saúde dos animais e, por consequência, a produção. Conhecer as principais doenças e saber como preveni-las é crucial para manter a qualidade e a produtividade do setor.

Coccidiose

Uma das doenças mais comuns nos primeiros dias de vida dos leitões, a coccidiose é causada pelo protozoário Cystoisospora suis. Ela se manifesta com diarreia de cor amarelada e odor desagradável. A doença afeta a mucosa intestinal, resultando em lesões que impactam o ganho de peso e a nutrição dos animais. A prevenção inclui o uso de medicamentos à base de toltrazuril nos primeiros dias de vida do leitão, além de medidas sanitárias, como regular e programas eficazes de desinfecção.

Anemia Ferropriva

A anemia ferropriva é causada pela baixa reserva de ferro nos leitões ao nascer, somada à pouca quantidade de ferro no colostro e no materno. Isso pode levar a uma pior conversão alimentar, fraqueza e maior suscetibilidade a infecções. A solução é a suplementação injetável de ferro nos primeiros dias de vida dos leitões, garantindo o saudável dos animais.

Doença do Edema

A doença do edema é uma infecção associada à bactéria Escherichia coli no intestino delgado, afetando leitões na fase pós-desmame. Os sintomas incluem edema subcutâneo, diarreia sanguinolenta, depressão e alta mortalidade. A prevenção envolve ção com a forma atenuada da toxina Shiga (Stx2e), reforço na higienização das baias, respeito ao vazio sanitário entre lotes e cuidados para evitar térmico nos leitões.

Pneumonia Enzoótica Suína

Causada pelo Mycoplasma hyopneumoniae, a pneumonia enzoótica suína é uma doença respiratória crônica que afeta suínos de todas as idades, mas especialmente leitões desmamados e em fase de crescimento. A doença compromete a imunidade respiratória, permitindo a entrada de outros agentes infecciosos. A prevenção passa pela vacinação e por práticas de manejo que reduzam o estresse e mantenham boas condições de ventilação e higiene nas instalações.

Circovirose

A circovirose suína é causada pelo circovírus suíno (PCV-2), um vírus altamente contagioso e resistente. Ele ataca o dos leitões, levando a uma variedade de síndromes, incluindo a Síndrome Multissistêmica do Definhamento dos Suínos (SMDS), que causa , inapetência e aumento dos linfonodos. A vacinação é fundamental para a prevenção, assim como práticas de manejo que melhorem a imunidade dos animais e reduzam o estresse.

Pleuropneumonia Suína

A pleuropneumonia suína é uma doença respiratória aguda e altamente contagiosa, causada pela bactéria Actinobacillus pleuropneumoniae. Ela afeta leitões e suínos em fase de crescimento, causando tosse, dificuldade respiratória e febre. Medidas de biosseguridade rigorosas, como separação de grupos de diferentes idades, limpeza adequada e controle de vetores, são essenciais para o controle. A vacinação também é um elemento-chave para reduzir a incidência e a gravidade da doença.

Conclusão

A suinocultura enfrenta desafios significativos com essas doenças, que podem impactar a saúde, o bem-estar e a produtividade dos suínos. A prevenção e o controle eficazes dependem de uma abordagem abrangente, incluindo biosseguridade, vacinação, manejo adequado e monitoramento constante. Com essas medidas, é possível minimizar o impacto das doenças e garantir operações suinícolas mais saudáveis e produtivas.

Fonte: portaldoagronegocio

Sobre o autor

Avatar de Redação

Redação

Estamos empenhados em estabelecer uma comunidade ativa e solidária que possa impulsionar mudanças positivas na sociedade.