Grupo do Whatsapp Cuiabá
Política

Cientista da computação lidera departamento de combate a incêndios durante governo de Lula

2024 word3

O governo federal tem uma pessoa com graduação em ciências da no comando do setor responsável por combater incêndios florestais. Raoni Guerra Lucas Rajão é o diretor do Departamento de Políticas de Controle do Desmatamento e Queimadas (DPCD) desde o início do , em janeiro de 2023.

Rajão permanece no cargo mesmo diante do crescimento de focos de calor, nome técnico do para queimadas e incêndios florestais, em cinco dos seis biomas do país no primeiro semestre deste ano. No comparativo com o mesmo período de 2023, os registros cresceram no Pantanal, na Amazônia, no Cerrado, na Mata Atlântica e na Caatinga. Só houve recuo no Pampa.

No Pantanal e no Cerrado, inclusive, o primeiro semestre de 2024 contou com 3,5 mil e 13,2 mil focos de calor, respectivamente. Esses números são os maiores da série histórica, que teve início em junho de 1998.

Até o momento, mesmo com os recordes de queimadas no país, Rajão não veio a público se manifestar a respeito do assunto. Como diretor do DPCD, ele não respondeu às perguntas enviadas por às 13h06 na última terça-feira, 2.

Confira, abaixo, as perguntas enviadas ao e-mail que consta como meio de contato oficial na página on-line do DPCD, órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente:

— Registros do Aqua, satélite de referência do Inpe, mostram que, na série histórica iniciada em 1998, tanto o Pantanal quanto o Cerrado registraram em 2024, os maiores números de focos de calor para um primeiro semestre, com mais de 3,5 mil e 13,2 mil, respectivamente. Quais as justificativas do Departamento de Políticas de Controle do Desmatamento e Queimadas para esses recordes?

— Quais as ações que o Departamento de Políticas de Controle do Desmatamento e Queimadas têm realizado para tentar combater o aumento de incêndios florestais nos biomas que cobrem o território brasileiro?

— Desde que a atual diretoria assumiu, em janeiro do ano passado, quais foram e quais são as ações de ao desmatamento ilegal, incêndios florestais e queimadas que foram e/ou estão sendo lideradas pelo departamento?

À frente do Departamento de de Políticas de Controle do Desmatamento e Queimadas, Rajão ganhou status de “especialista” em temas climáticos durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro. Antes de Lula voltar ao poder, ele escreveu artigos críticos ao agronegócio do país. Chegou a culpar produtores rurais pelo que chamou de “enfraquecimento das políticas de redução de desmatamento anteriormente bem-sucedidas”.

Agora, com o recorde de queimadas em biomas como Pantanal e Cerrado, Rajão não se manifesta. Além disso, deixou de aparecer em veículos da imprensa tradicional. Ausência que se dá apesar de ser o diretor responsável pelo departamento que deveria implementar ações contra incêndios florestais Brasil afora.

Registro de 2023 de incêndio no Pantanal
Incêndios voltaram a atingir o pantaneiro (2023) | Foto: Joédson Alves/Agência Brasil
Brigadista tenta conter chamas que se espalham pelas gramas do Pantanal — Corumbá, 29/6/2024 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brigadista tenta conter chamas que se espalham pela no Pantanal, em Corumbá (29/6/2024) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Profissional do Ibama diante de área afetada pelas queimadas; o campo virou cinzas — Corumbá, 29/6/2024 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Profissional do Ibama diante de área afetada pelas queimadas; o campo virou cinzas em Corumbá (29/6/2024) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brigadista tenta conter fogo em Corumbá, a'capital do Pantanal' — 29/6/2024 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Agente tenta conter fogo em Corumbá, a ‘capital do Pantanal’ (29/6/2024) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brigadista em área pantaneira depois de ser tomada pelo fogo — Corumbá, 29/6/2024 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brigadista em área pantaneira depois de ser tomada pelo fogo, em Corumbá (29/6/2024) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brigadista do Ibama em ação de combate ao incêndio — Corumbá, 29/6/2024 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Servidores do Ibama em ação de combate ao incêndio em Corumbá (29/6/2024) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Vista panorâmica de área de mata no Pantanal com focos de fumaça
Vista panorâmica de área de mata no Pantanal com focos de fumaça, nos arredores do município de Corumbá, interior de Mato Grosso do Sul (28/6/2024) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Ribeirinho observa fumaça de queimadas nas proximidades de Corumbá — 28/6/2024 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Ribeirinho observa fumaça de queimadas nas proximidades de Corumbá (28/6/2024) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brigadista tenta combater o fogo, que se alastra pelo solo em área próxima a Corumbá — 28/6/2024 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brigadista tenta combater o fogo que se alastra pelo solo em área próxima a Corumbá (28/6/2024) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brigadista do Ibama durante um dia de trabalho na tentativa de controlar o fogo no Pantanal — Corumbá, 28/6/2024 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brigadista do Ibama durante um dia de trabalho na tentativa de controlar o fogo no Pantanal, em Corumbá (28/6/2024) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Incêndio em solo em área do Pantanal — Corumbá, 30/6/2024 | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Incêndio em área do Pantanal, em Corumbá (30/6/2024) | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Fonte: revistaoeste

Sobre o autor

Avatar de Redação

Redação

Estamos empenhados em estabelecer uma comunidade ativa e solidária que possa impulsionar mudanças positivas na sociedade.