Grupo do Whatsapp Cuiabá
Economia

Banco Central Atua em Situações de Instabilidade na Moeda, Afirma Campos Neto

2024 word1
CRM Com Automação Canal Mídia

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, defendeu, nesta quarta-feira, 3, o fato de que a instituição tem de fazer intervenções no mercado de câmbio quando houver “alguma disfuncionalidade na moeda”. “Se em algum momento tiver, nós vamos fazer.”

Sobre a , Campos Neto salientou que a intervenção não teve a ver com um movimento de câmbio e frisou que o câmbio é flutuante. Na ocasião, a moeda norte-americana encerou o dia valendo R$ 5,06.

“Estávamos vendo que poderia ter uma disfunção e foi feita uma intervenção”, disse Campos Neto. “Colocamos no texto da intervenção isso.”

Ele emendou que o tem uma situação bastante boa de reservas comparado a outros países da América e ao mundo emergente em geral. “Com um fluxo forte e um volume de reservas bastante razoável, o câmbio não deveria ser um problema no Brasil.”

Presidente do Banco Central fala sobre os juros no Brasil

Banco Central JurosBanco Central Juros
BC agiu no dia em que o dólar fechou o dia sendo negociado acima de R$ 5 | : Marcello Casal/Agência Brasil

O presidente do BC acrescentou que o diferencial de juros entre Brasil e Estados Unidos também não deveria ser um problema para a economia nacional. “Temos um diferencial de juros ainda bastante favorável.”

Campos Neto afirmou que essa é sempre uma equação com dois lados, o diferencial de juros e o de risco. “Se o seu risco percebido está no mesmo que o diferencial de juros, sua moeda tem que desvalorizar para compensar”, disse o presidente do Banco Central. “A questão é se do lado do risco nós temos alguma mudança substancial.”

Campos Neto participou do , organizado pelo Bradesco BBI, em São Paulo.


Revista , com informações da Agência Estado

Fonte: revistaoeste

Sobre o autor

Avatar de Redação

Redação

Estamos empenhados em estabelecer uma comunidade ativa e solidária que possa impulsionar mudanças positivas na sociedade.