Economia

‘Café Girondino encerra suas atividades em São Paulo após 26 anos de serviço’

2024 word2

Referência para frequentadores do centro de , o Café Girondino fechou suas portas na última segunda-feira, 3.

Atendendo apenas 30% do público habitual em comparação com a frequência pré-pandemia, a direção do decidiu encerrar a operação depois de 26 anos em frente ao .

Com grande adoção do home office por empresas financeiras e a persistente sensação de insegurança que afasta turistas do centro histórico paulistano, a operação tornou-se financeiramente insustentável, afirmou o gerente comercial, Felippe Nunes, à Folha de São Paulo.

“O centro está melhorando, o policiamento aumentou, as pessoas estão voltando a frequentar, mas esse aumento do público não está ocorrendo na velocidade que precisamos”, disse Nunes.

“A pandemia machucou demais a , o faturamento chegou a cair para 3% do normal”, acrescentou.

Inaugurado em 1998 em um pré pertencente à Santa Casa de Misericórdia e construído pelo Metrô como contrapartida pela inauguração da estação São Bento, o Girondino tem uma relação antiga com São Paulo, contou Nunes à reportagem.

O restaurante foi inspirado no café homônimo que operava entre 1875 e 1920 na esquina da rua 15 de Novembro com a praça da Sé.

A recriação, no final da década de 1990, manteve a tradição de receber frequentadores do mundo dos negócios.

Operadores e investidores da bolsa de valores ajudavam a manter o local lotado durante a semana. Perto dos anos 2010, pregões presenciais foram substituídos por negociações eletrônicas.

A ausência dos profissionais da bolsa foi compensada pela presença de servidores públicos de órgãos estaduais e bancários, quando a Rua 15 de Novembro era conhecida como “Rua dos bancos”.

A casa, de 250 lugares em três andares e cerca de 400 metros quadrados, ainda é referência para turistas aos sábados, quando a lotação é similar aos bons tempos. Muitos visitantes são atraídos pelo comércio da Rua 25 de Março, mas alguns vão especialmente conhecer o café.

“Sabemos que o Girondino é um local de destino e o seu fechamento vai agravar ainda mais o esvaziamento do centro, mas eu peço às pessoas que venham, que conheçam outros cafés e restaurantes daqui, muitos são maravilhosos”, afirmou Nunes.

Iniciativas de revitalização

As gestões do prefeito Ricardo Nunes (MDB) e do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) têm implementado iniciativas para reverter a tendência de esvaziamento da região central, agravada pela pandemia e pelo espraiamento das cracolândias.

A região do Café Girondino é alvo de um programa municipal para a recuperação de edifícios antigos, que os transforma em moradias.

Há cerca de dois meses, o governo estadual lançou uma parceria público-privada com previsão de R$ 2,4 bilhões em investimentos em moradia na área central.

A avaliação dos resultados desses programas demanda tempo, com alguns projetos podendo levar até cinco anos para conclusão.

Até mesmo o Plano Diretor da cidade, que desde 2014 incentiva a ocupação de áreas com maior infraestrutura de transporte, ainda não conseguiu aumentar significativamente a quantidade de moradores permanentes no centro, conforme dados do Censo 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Fonte: revistaoeste

Sobre o autor

Avatar de Redação

Redação

Estamos empenhados em estabelecer uma comunidade ativa e solidária que possa impulsionar mudanças positivas na sociedade.