Grupo do Whatsapp Cuiabá
Agronegócio

Brasil fortalece sua posição no mercado global de exportação de derivados do milho para produção de etanol – Afiliada Mato Grosso – Dia de Ajudar

2024 word2

O Brasil ampliará as exportações derivados da produção de etanol de milho, conhecido como DDG (grãos secos por destilação) ou DDGS (grãos secos por destilação com solúveis) para o Vietnã, Tailândia, Turquia e Nova Zelândia. A conquista ressalta as boas relações diplomáticas brasileiras e o coloca como um importante player no mercado global. A afirmação foi feita pelo Ministro da Agricultura e pelo Ministro das Relações Exteriores. 

A expectativa da União Nacional do Etanol de Milho (Unem), é de que as exportações avancem e ajudem a impulsionar, ainda mais, a produção desse co-produto. 

O presidente da Unem, Guilherme Nolasco, conta que depois de um ano e meio de estudo alguns países foram priorizados para essa consolidação de mercados alvos. “A gente recebe com muita alegria esses novos quatro mercados que se consolidam para a produção e oferta do farelo de milho brasileiro”, comenta Nolasco. 

mais milho inpasa etanol de milho foto leandro balbino canal rural mato grosso3mais milho inpasa etanol de milho foto leandro balbino canal rural mato grosso3
Foto: Leandro Balbino/Dia De Ajudar Mato Grosso

Segundo Nolasco, em meados de 2019, o mercado comprava mais farelo de milho do que ofertava. O setor observava o potencial de crescimento da indústria e a necessidade de abrir para o mercado internacional. Em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil), mais de 80 requisitos foram analisados para que o mapeamento, dos possíveis locais de crescimento, fosse realizado. 

De acordo com a Apex Brasil, as projeções indicam que até 2031/2032 a produção de etanol de milho brasileiro saltará para 10,88 bilhões de litros. Isso levará a uma oferta para o mercado de aproximadamente 6,5 milhões de toneladas de DDG/DDGS.

“Hoje a China já não compra mais o DDGS dos Estados Unidos da América e o único país que pode ofertar é o Brasil. E estamos trabalhando para abrir, também, esse mercado para a China. O Brasil ainda produz quatro milhões de toneladas de DDGS, ou seja, quase a metade daquilo que a China já consumiu e temos uma projeção de produzir nove milhões até 2030”, explica Nolasco. 

Segundo o 1º Levantamento da Safra de Grãos /24, divulgado em outubro pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção de milho total esperada para o na safra 2023/24 é de 119,4 milhões de toneladas. Estima-se que 38 milhões de toneladas do cereal serão exportadas pelo país.

Projeto Mais Milho nova outubroProjeto Mais Milho nova outubro
Brasil Fortalece Sua Posição No Mercado Global De Exportação De Derivados Do Milho Para Produção De Etanol - Afiliada Mato Grosso - Dia De Ajudar 4

+Confira mais notícias do projeto Mais Milho no site do Dia de Ajudar

+Confira mais notícias do projeto Mais Milho no YouTube


Clique aqui, entre em nossa comunidade no WhatsApp do Dia de Ajudar Mato Grosso e receba notícias em tempo real.

Fonte: canalrural

Sobre o autor

Avatar de Redação

Redação

Estamos empenhados em estabelecer uma comunidade ativa e solidária que possa impulsionar mudanças positivas na sociedade.